quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Roteiro de 3 dias Normandia - 1º dia Étretat, Le Havre e Honfleur

Étretat

Uma das coisas mais empolgantes de quando soube que moraria em Paris foi saber que poderíamos simplesmente pegar um carro (ou trem, ônibus, avião) e conhecer muito lugares incríveis pela França. Acho que quase todo mundo que vai morar fora acaba pensando: "Já que estou aqui posso aproveitar e conhecer muitos outros lugares!"

Passada essa empolgação inicial, fiquei MUITO na dúvida sobre qual lugar conhecer depois de me ambientar em Paris.

Na minha primeira vez na Europa escolhi com meu namorado os seguintes destinos: Bélgica (Bruxelas e Bruges), Holanda (Amsterdam) e a Espanha (Madrid e Barcelona). Foi uma viagem incrível, mas nós estávamos de férias, então tínhamos 20 dias para curtir (prometo que em breve eu vou fazer um post sobre essas viagens). Agora, morando aqui, podemos viajar com mais frequência, porém as viagens precisam ser mais curtas, aproveitando finais de semana e feriados.

Depois de pesquisar bastante, decidimos que gostaríamos de explorar a região da Normandia primeiro. Então montamos um roteiro para 3 dias, no final de Julho, fazendo base em Honfleur:

1º Dia: Étretat , parada rápida em Le Havre e dormir em Honfleur.
2º Dia: Explorar Honfleur e visitar Trouville e Deauville. (Post aqui)
3º Dia: Praias do Desembarque (Dia D).

Vou fazer um post para cada dia para poder dar bastante detalhes :)

Antes de avançar, sei que muitos perguntariam: "E o Mont de Saint-Michel? Você não vai? Como assim?". Nós decidimos esperar mais um pouco. Como tínhamos apenas 3 dias, optamos por conhecer as praias do desembarque e deixar o Mont de Saint-Michel para outra vez (na verdade, como estou postando esse roteiro meio atrasado, já visitamos Saint-Michel e postarei em breve! Nessa outra viagem ainda conhecemos Saint Malo e Rennes)


Transporte


Carro Fiat 500

Decidimos ir de carro, saindo de Paris. Alugamos um Fiat 500 pela Europcar e retiramos na Gare Montparnasse. O carro estava novinho, uma graça. É mais do que suficiente para 2 pessoas e anda super bem na estrada! Me diverti com o teto solar hahaha. Mas atenção: caso tenha que levar pessoas no banco de trás, recomendo um carro maior.

Brasileiros podem alugar normalmente apenas com a carteira de motorista brasileira. Você não precisa se preocupar em tirar a carteira de motorista internacional.

De Paris até Étretat levamos 2h30 e no percurso há alguns pedágios.

Pedágio

Sempre escolha a faixa que tiver o simbolo do cartão ou dinheiro. A faixa com esse símbolo ¨T¨ é como se fosse o Sem Parar do Brasil, então cuidado! Como temos cartão de crédito daqui, não sei dizer se cartões brasileiros são aceitos, então na dúvida é preferível ter dinheiro trocado e passar na faixa com o sinal do dinheiro. Na França existem 2 tipos de pedágios. Um em que você paga um preço fixo a cada parada e outro que você retira um ticket quando entra na estrada e paga ao sair, dependendo do trecho rodado. Nessa caso foi preço fixo!

Caixa do pedágio

A foto acima mostra como fizemos para pagar utilizando cartão de crédito. A máquina "engole" seu cartão e devolve muito rápido, sem solicitar senha. Ficamos até surpresos pois a cancela levantou muito rápido após colocar o cartão. 


Étretat

Chegando em Étretat, paramos o carro na entrada da cidade. O estacionamento é gratuito e fica a 10 minutos a pé do centro. Há opções de estacionamento dentro da cidade também, mas além de ter que pagar, a gente não quis arriscar de não encontrar vaga e ter que ficar rodando a toa.

Office de Tourisme

A cidade é MUITO pequena, mas para não ter erro fomos direto ao 'Office de Tourisme' pegar um mapa.

Cidade de Étretat

O centro da cidade é praticamente uma rua e no final dela você chega na praia. No caminho há várias lojinhas, restaurantes e até um casino.

Plage d'Étretat

Só de chegar na praia já valeu a viagem toda, que lugar incrível! A praia é inteira de pedras redondas ao invés de areia! É estranho pois mesmo sendo pedras elas afundam ao pisar. No primeiro momento achei que seria incomodo sentar nelas, mas até que não é ruim. Não sei como seria ficar horas deitada nelas tomando sol, mas o pouco que fiquei foi tranquilo.

Chegando na praia você pode optar entre dois percursos: a direita você encontra a Falaise d'Amont e a esquerda a Falaise d'Aval. Ambos são gratuitos. Quando a maré está baixa você também pode passar por debaixo da famosa "tromba do elefante". Recomendo fazer isso assim que chegar, pois deixamos para fazer a tarde e quando fomos a maré estava subindo e não pudemos passar =/

Resolvemos começar pelo percurso do lado direito, na Falaise d'Amont. 

Escada para o percurso da Falaise d'Amont

Prepare-se para andar! Muita subida, descida e um longo caminho. Passe protetor solar, porque mesmo nublado o sol queima e vá com roupa confortável, de preferencia tênis. Acredite se quiser, vi gente de salto alto no meio da trilha, então não custa deixar a dica! hahaha

Vale cada degrau, cada esforço, cada gota de suor! hahaha

Vista de cima da Falaise d'Amont

Além dessa vista ainda tem a La Chapelle.

La Chapelle

No meio do nada e com uma vista privilegiada. Quando fomos ela estava fechada, não sei se em algum momento ela abre para visitas.

Caminho da Falaise d'Amont
Porte d'Amont-Chaudron

Depois de conhecer este lado, resolvemos fazer uma pausa para almoçar.

Les Roches Blanches Restaurant

Escolhemos o Les Roches Blanches Restaurant, que fica bem de frente para a praia. Apesar da localização privilegiada, o preço é excelente e amamos a comida.

Vista do almoço
Moules frites

Escolhemos o menu tradicional com Moules frites (mexilhão com batatas fritas), sobremesa e cidra para acompanhar. Não lembro exatamente quanto pagamos, mais foi algo em torno de 15-18 euros por pessoa.

Depois do almoço tentamos passar pela "tromba do elefante", mas foi quando descobrimos que já era tarde. Fomos passeando pela orla até chegar ao outro lado.

Painéis com obras do Monet

Você vai encontrar painéis como o da foto acima, que representam algumas obras de Monet. Eles estão estrategicamente posicionados para te dar a visão que o inspirou. Achei demais!

Para a Falaise d'Aval a trilha é ainda mais pesada! Mas como falei anteriormente, também vale cada esforço.

Vista da Falaise d'Aval com um morador local

No percurso há diversos pontos para você ir parando. Particularmente acho que preferi a vista desse lado.

Um dos pontos da Falaise d'Aval

Acabando o segundo percurso, pegamos o carro e seguimos em direção a Le Havre. Era por volta das 17h, o que ainda nos dava bastante tempo antes de escurecer, pois era verão. 



Le Havre

De Étretat até Le Havre foram uns 35 min. É bem rapidinho. 

Le Havre

Le Havre é bem maior que Étretat e bem diferente. A praia é bonita, mas não tanto como Étretat. Nós praticamente nem paramos, só passamos de carro por lá.

Fizemos questão de ir até o Le Volcan, obra de Oscar Niemeyer que hoje é a casa da cultura.

Le Volcan

Depois passeamos um pouco mais de carro e fomos embora.


Ponte da Normandia

De Le Havre até Honfleur são mais 30 min e você felizmente tem que passar pela Pont de Normandie, que atravessa o Rio Sena e liga as 2 cidades.

Pont de Normandie

Fiz um vídeo passando por ela:


video
(A qualidade está ruim porque o vídeo era do Snap)


Linda, né?


Honfleur

Honfleur

No final do dia, chegamos a Honfleur. Vou deixar a experiencia por lá junto com o roteiro do segundo dia, acho que faz mais sentindo! Post aqui :)

Espero que tenham gostado, se tiverem alguma dúvida, dica ou crítica, deixe seu comentário!

Bisou :) 


(Look | Regata: Mango • Calça: Primark • Moletom e tênis: Adidas • Bolsa: Kipling • Óculos: Ray Ban • Chapéu e pulseiras: H&M • Relógio: Casio)

3 comentários: